Coluna Cervical

 ANATOMIA DA COLUNA CERVICAL

A coluna cervical possui sete vértebras que podem ser classificadas em: atípicas e típicas, as primeiras são as três cervicais, atlas (C1), áxis (C2), e a sétima proeminente (C7), as típicas contém componentes estruturais que são comuns a todas as vértebras: corpo vertebral e arco vertebral, processos transverso, espinhoso e articular, lâminas, pedículos e forame vertebral (LUIZA, 2010). As sete vértebras cervicais formam um arcabouço flexível para o pescoço e um suporte para a cabeça. O tecido ósseo das vértebras cervicais é mais denso do que o encontrado em vértebras de outras regiões, e com exceção das vértebras da região coccígea, as vértebras cervicais são as menores. As vértebras cervicais se distinguem pela presença de um forame transversário em cada processo transverso. As artérias e veias vertebrais passam através dessas aberturas ao contribuírem para o fluxo sanguíneo ligado ao encéfalo (DE GRAAFF, 2002). Atlas (C1)

A primeira vértebra cervical – o Atlas

A primeira vértebra cervical é denominada atlas e sua principal diferenciação em relação às outras vértebras é o fato de não possuir corpo vertebral. Constituem-se por dois arcos, um posterior e um anterior de menor tamanho. No arco anterior existe uma faceta articular para o processo odontoide da áxis (segunda vértebra cervical). A vértebra atlas articula-se ainda com a base do crânio nos côndilos occipitais e com a áxis inferiormente (RUBISTEIN, 2010). Essa articulação atlanto-occipital suporta o crânio e permite a inclinação da cabeça para movimento de “afirmação“ (DE GRAAFF, 2002). Áxis (C2)

A segunda vértebra cervical – o Axis

A segunda vértebra cervical é denominada áxis e também é considerada uma vértebra atípica, uma vez que possui uma densa porção óssea (processo odontóide), que se projeta na parte superior da áxis para dentro da atlas e se introduz no forame magno. Este se localiza na base do crânio e tem em seu interior estruturas como o bulbo (centro nervoso do comando respiratório) e o início da estrutura medular nervosa. O processo odontoide estabiliza a coluna cervical em relação ao crânio, permitindo os movimentos de rotação da cabeça (Rubistein, 2010). Vertebras cervicais típicas (C3 a C6) As vértebras cervicais típicas (3ª a 6ª) possuem corpo vertebral, arco vertebral, processos transverso, espinhoso e articular, lâminas, pedículos e forame vertebral (RUBISTEIN, 2010).

A sétima vértebra cervical – a proeminente 

Sétima proeminente (C7) A sétima vértebra cervical possui os mesmos componentes de uma vértebra típica, porém é considerada atípica porque seu processo espinhoso é proeminente e pode ser facilmente palpável na região posterior do pescoço, quando o indivíduo realiza a flexão da cabeça. Outra particularidade é a de que possui o forame vertebral bem menor que o das outras cervicais (RUBINSTEIN, 2010).

 

INCIDÊNCIAS RADIOGRÁFICAS DA COLUNA CERVICAL Na região cervical, utilizam-se radiografias nas incidências básicas, nas posições anteroposterior (AP), perfil e oblíquas : Projeção Anteroposterior esta incidência tem a importância de avaliar as articulações uncovertebrais e com a relação dos forames vertebrais.(ELSEVIER,2012) A posição do paciente deve ser ortostático ou em decúbito dorsal, com seus membros superioresestendidos . Alinhando o plano médio sagital do corpo,com a linha central da mesa ou da estativa. Deixando a região cervical imóvel, o raio central entra a cerca de 7° a 20°, no sentido cefálico, passando pela vértebra cervical C4.(FELISBERTO,2009) Projeção PERFIL: Segundo Mckinnis (2004) essa incidência radiográfica ajuda a reproduzirtodas as sete vértebras, e os espaços articulares e discais, a articulação facetarias processo espinhoso e os tecidos moles. O paciente deve estar na posição de perfil em ortostática, em pé com os ombros encostados no receptor de imagem no Buck mural na vertical. Alinhando o plano coronal médio ao raio central (RC), e no meio do receptor de imagem (RI). Centralizando o Receptor de imagem com o raio central, o topo do receptor de imagem situadopróximo do Meato acústico externo (MAE). Raio central (RC) no mesmo plano, direcionando a coluna cervical 4 (C4). Estendendo o queixo para frente e relaxando os ombros.(BONTRAGER e LAMPIGNANO, 2010). Projeção OBLIQUAS: Em incidência obliqua, tendo a mesma particularidade da incidência Anteroposterior na avaliação uncovertebrais e a relação dos forames vertebrais. Onde os forames são bem visualizados e as facetas articulares. (ELSEVIER,2012) Segundo Felisberto (2009) o paciente deve estar em posição ortostáticacom os membros superiores estendidos ao longo do corpo. O corpo e a cabeça devem estar com angulação de 45° em relação à estativa. A coluna cervical deve estar alinhada a linha centra da estativa, para evitar sobre posição de imagem o queixo do paciente deve estar estendido para frente

Partilha nas redes sociais
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •