Entorse

Entorse é a perda momentânea da congruência articular (cápsula articular e/ou ligamentos) de uma articulação. Também pode ser definida como uma lesão traumática de uma articulação, com alongamento, arrancamento ou rotura de um ou mais ligamentos, sem deslocamento das superfícies articulares.

A gravidade da lesão ligamentar é classificada de diversas maneiras; contudo o sistema mais usado são três graus:

  • Entorse de grau I: Ocorre estiramento ou uma pequena rotura das fibras ligamentares com pouca ou nenhuma instabilidade articular. Pode apresentar dor leve, pouco edema e rigidez articular mínima.
  • Entorse de grau II: Ocorre alguma rotura e separação das fibras ligamentares e instabilidade moderada da articulação. Pode-se esperar dor moderada a forte, edema e rigidez muscular.
  • Entorse de grau III: Ocorre rompimento total e separação das fibras ligamentares e grande instabilidade da articulação. Pode-se esperar dor forte, edema, hematoma e rigidez muscular.

Sinais e sintomas

  • A dor na articulação é gradual ou imediata.
  • Edema articular.
  • Verifica-se imediata ou gradualmente uma incapacidade para mexer a articulação (perda de função).
  • O tratamento consiste em imobilidade absoluta do local e aplicação de compressas frias e bolsas de gelo durante as primeiras 24 horas. Os casos mais graves podem necessitar de imobilização com bandagens ou gesso.
  • Entorse do tornozelo
  • O mecanismo mais comum da entorse de tornozelo é o trauma em inversão do pé. É uma lesão que causa estiramento ou ruptura de um ou mais ligamentos da articulação do tornozelo, principalmente a face lateral do tornozelo, conforme figura abaixo.

Como ocorre?

A maneira mais comum de ocorrer a lesão é “virar o pé para dentro” (em termos médicos, trauma em inversão do pé). Geralmente observa-se inchaço no tornozelo, que ocorre somente na face lateral nas entorses leves ou difusamente nas entorses graves. Acompanhando inchaço pode ocorrer um hematoma (depois de 24h ou 48h da entorse) na face lateral do pé e tornozelo.

Tratamentos

O tratamento das entorses de tornozelo é direcionado de acordo com a lesão apresentada. Entretanto, na fase aguda, é interessante realizar o protocolo abaixo:

  • Repouso: fazer movimentos apenas para as necessidades básicas diárias e evitar longas caminhada;
  • Elevação: elevar o membro afetado, colocando-o sobre um apoio, quando sentado e sobre um ou dois travesseiros, quando deitado;
  • Gelo: compressas devem ser realizadas na face anterior do tornozelo – a parte da frente – por 20 minutos, quatro vezes por dia. Deve-se envolver a bolsa de gelo com uma toalha para proteger a pele do frio excessivo;
  • Órtese: usar talas imobilizadoras ou imobilizações gessadas, conforme orientação médica. A órtese deve ser usada 24 horas por dia, retirando-as somente para a realização da compressa de gelo e para o banho;
  • Medicações: podem ser prescritos analgésicos e anti-inflamatórios, que devem ser utilizados conforme orientação médica.
  • Exames complementares: dependendo do tipo da lesão o médico pode, após realizar o exame físico do joelho, solicitar uma ressonância magnética. Esse exame deve, preferencialmente, ser realizado de forma ambulatorial. Não há indicação da realização do exame no atendimento inicial do paciente que ocorre no pronto atendimento.
  • Fisioterapia motora: é indicada para proporcionar uma reabilitação adequada e o retorno às actividades normais do paciente.

Se surgir vermelhidão, inchaço, dor que não cede com as medicações ou perda de sensibilidade do membro afetado, o paciente deve procurar o Pronto Atendimento para nova avaliação.

O tempo de cicatrização varia conforme o grau da entorse.

Para melhor acompanhamento da lesão, após a consulta no Pronto Atendimento, deve-se agendar retorno com seu médico particular, levar os exames solicitados e realizar o acompanhamento ambulatorial. Essa nova avaliação deve ser feita em aproximadamente uma semana.

Entorse do joelho

A entorse do joelho é provocada por excessiva distensão das estruturas que garantem a estabilidade da articulação – ligamentos, por exemplo –, originada por movimentos bruscos ou traumatismos. O trauma mais comum que causa a lesão é a torção com trauma na face externa do joelho, levando ao estiramento do ligamento colateral medial (LCM), localizado na face interna do joelho. Este ligamento geralmente cicatriza sem necessidade de intervenção cirúrgica.

Outras lesões comumente associadas à entorse do joelho são a do menisco medial e a do ligamento cruzado anterior (LCA).

Como ocorre?

Geralmente relacionada à prática esportiva. A gravidade da lesão depende da maneira como o indivíduo torce o joelho. Após um ou dois dias do trauma, podem aparecer hematomas que muitas vezes se estendem até o tornozelo.

Quais os tratamentos?

O tratamento das entorses do joelho é direcionado de acordo com a lesão apresentada. Para melhor acompanhamento da lesão, após a consulta no Pronto Atendimento, deve-se agendar retorno com seu médico particular, levar os exames solicitados e realizar o acompanhamento conforme sua orientação, em ambulatório. Essa nova avaliação deve ser feita em aproximadamente uma semana. O tempo de cicatrização varia conforme o grau da entorse.

Como colaborar com o tratamento?

Na fase aguda – de acordo com a avaliação e orientação médica – é interessante seguir as recomendações:

  • Proteja o membro acometido: é importante diminuir ou deixar de fazer esforço com a perna acometida, utilizando muletas, bengala ou andador.
  • Fique em repouso: quanto mais tempo em repouso, melhor. Faça movimentos apenas para as necessidades básicas diárias e evite caminhadas.
  • Mantenha o apoio adequado: eleve a perna afetada, colocando-a sobre um apoio – como almofada ou travesseiro, por exemplo – quando sentado e sobre um ou dois travesseiros, quando deitado.
  • Use compressas de gelo: as compressas devem ser realizadas na parte da frente do joelho, a chamada face anterior, por 20 minutos, quatro vezes por dia. Deve-se envolver a bolsa de gelo com uma toalha para proteger a pele do frio excessivo.
  • Órteses: a necessidade do uso de talas imobilizadoras será orientada pelo médico, quando necessário.
  • Medicações: podem ser prescritos analgésicos e anti-inflamatórios, que devem ser utilizados conforme orientação médica.
  • Exames complementares: dependendo do tipo da lesão o médico pode, após o exame físico do joelho, solicitar uma ressonância magnética. Esse exame deve, preferencialmente, ser realizado depois do primeiro atendimento, com dia e horário marcados. Não há indicação da realização do exame no atendimento inicial do paciente.

Definição

O entorse é uma lesão dos ligamentos de uma articulação sem deslocamento das superfícies articulares. Em caso de entorse, o raio de ação normal de uma articulação é ultrapassado com o efeito do impacto e causa um dano por distorsão no aparelho cápsulo-ligamentar.

Os ligamentos são tecidos de estrutura elástica, que conectam os ossos e encontram-se nas articulações.

Distinguimos o entorse benigno (não há ruptura dos ligamentos) dos entorses graves (há ruptura dos ligamentos).
O tornozelo é a região do corpo mais afetada por entorses.

Entorses também muitas vezes sr desenvolvem na altura dos joelhos e arco dos pés.

Causas

Quando a articulação é submetida a um movimento brusco há risco de ocorrer um entorse benigno ou grave.

É o que ocorre com os atletas (jogadores de futebol, tênis,etc.) que efetuam movimentos bruscos e violentos com freqüência.

A caminhada e/ou um movimento em falso podem também provocar um entorse.

Grupos de risco

Os grupos de risco são principalmente:

  • Os atletas, esportistas
  • A fadiga em geral (que enfraquece e pode favorecer um entorse)

Sintomas

Geralmente, quanto mais forte for a dor, mais forte e importante é a lesão.

Existem 3 tipos diferentes de entorses, classificadas pela dor:

  • Entorse ligeira ou tensão: O ligamento é esticado ou levemente rasgado. A dor é leve ou inexistente, mas pode aumentar com o movimento. Em geral, a área afetada não está particularmente inflamada.
  • Entorse moderada: algumas fibras do ligamento são rasgadas, mas não completamente. A área afetada, como a articulação, fica dolorida e às vezes inchada. O movimento é difícil. Um hematoma pode estar presente.
  • Entorse grave: Um ou mais ligamentos são completamente rasgados. A área afetada, muitas vezes uma junta, é muito dolorida, muito inchada com uma cor diferente do resto do conjunto, indicativo de um hematoma. Você não pode mover a articulação.

Os movimentos na articulação são anormalmente amplos, isso é porque os ligamentos que sustentam a articulação estão severamente danificados e não consegue mais segurar o bom movimento articular. Nota-se tipicamente a presença de um hematoma 24 horas após o início da entorse.

Nota: a entorse grave é fácil de ser confundida com uma fratura.

Diagnóstico

O diagnóstico dos entorses consiste em:

  • Um exame clínico
  • Radiografias

É importante consultar um médico em caso de entorse grave.

Tratamentos

O tratamento dos entorses benignos geralmente consiste em:

  • Na aplicação de compressas de gelo, que devem ser feitas o mais rápido possível (mais informações em “aplicação de gelo em caso de entorse”)
  • Compressão: colocar uma bandagem, um esparadrapo (strapping, feito pelo médico), um gesso ou uma atadura durante 2 a 3 semanas, isso ajuda a impedir o inchaço. É o médico que irá decidir qual a melhor solução para imobilizar bem a articulação e ajudar na reconstrução dos ligamentos.
  • O uso de anti-dor e antiinflamatórios como o ibuprofeno ou o diclofenac em uso externo (creme, gel,…) ou interno (comprimidos).
  • Repouso, você pode, por exemplo, utilizar a a ajuda de uma bengala ou muleta para caminhar, se o entorse ocorrer no tornozelo ou joelho. O objetivo é estabilizar a articulação, enquanto o paciente aguarda uma consulta no médico.

Para os entorses graves:

  • Alem dos tratamentos do entorse benigno (frio, bandagem, anti-dor), o médico pode propor uma intervenção cirúrgica

Dicas terapia:

  • Aplique rapidamente uma compressa de gelo (para limitar a dor e o inchaço, efeito “antiinflamatório natural). Você pode, por exemplo, fazer compressas de dez minutos e repetir a operação de hora em hora. Utilize uma bolsa de gelo (ou gel “cold pack”) protegida por uma toalha (você não deve deixar o gelado em contato com a pele).
  • Em caso de inchaço e se o entorse ocorrer na região do pé, é aconselhado deixar o pé em uma posição elevada.
  • Se o seu entorse ocorrer após uma prática esportiva, é aconselhado a não retomar o esporte logo em seguida: por exemplo, em caso de entorse moderado são necessárias 4 a 6 semanas de repouso antes de retomar o esporte.
  • Cerca de 48 horas após a entorse, se o inchaço desapareceu, aplicar calor na área afetada.

Prevenção

  • Faça um bom aquecimento antes de praticar esportes.
  • As mulheres devem evitar o uso de saltos altos.
  • Depois de praticar esportes, fazer um alongamento.
  • Após o exercício físico, aplicar compressas frias sobre as articulações em risco de em torse (por exemplo, se você teve no passado).

Uma entorse é uma lesão que produz a rotura, distensão ou alongamento excessivo de um ligamento, isto é, da banda de tecido elástico que une as extremida­des ósseas numa articulação.

Pode ser leve ou moderada, dependendo do factor que a causou. Nas entorses leves, o liga­mento distende-se, enquanto nas entorses graves pode romper-se.

A entorse ocorre devido a um movimento brusco, queda, golpe ou a uma torção da articulação, que a faz ultrapassar a sua amplitude normal. Em entorses leves, os sintomas são a inflamação e dor, havendo um movimento normal da
arti­culação. Em entorses graves, para além da inflamação e dor, o movimento da articulação é anormalmente amplo e solto.

Tratamento

Para as entor­ses leves, basta imobilizar a zona com uma tala ou uma faixa compressiva. As entorses graves podem necessitar de cirurgia para reparar o ligamento ou substituí-lo por um artificial. De seguida, é preciso fazer fisioterapia. Depois de uma entorse grave é necessário levar a cabo uma reabilitação física com três objectivos:

  • Reeducar a zona lesionada para recu­perar a mobilidade
  • Reduzir a inflamação
  • Fortalecer os músculos e a articulação

Recuperação

É necessário repousar e manter a zona elevada. As entorses costumam curar-se em duas ou três semanas. As graves podem precisar até oito semanas. Para poder voltar a praticar desporto, não deve existir nem dor nem inflamação na zona afectada.

Partilha nas redes sociais
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •