Hérnia Cervical

Hérnia cervical discal

A hérnia de disco cervical é caracterizada pela compressão do disco intervertebral localizado na região do pescoço.

O disco intervertebral forma uma articulação entre os corpos vertebrais e é constituído por uma camada externa firme – o anel fibroso, envolvendo um centro gelatinoso – o núcleo pulposo. O anel fibroso permite a passagem de material do núcleo para o canal vertebral, constituindo a hérnia discal.

Sintomas da hérnia cervical

O principal sintoma da hérnia de disco cervical é a dor localizada no pescoço. Frequentemente quem sofre de hérnia cervical queixa-se também de:

  • Dor e sensação de formigamento no ombro ou no braço;
  • Dificuldade em movimentar o pescoço e braço.

Em alguns casos a hérnia comprime a medula causando disfunção neurológica severa, com perda de equilíbrio, coordenação motora, ou fraqueza muscular generalizada. A hérnia discal pode ser causada por um esforço, mas é comum que o doente não se recorde de nenhuma atividade ou acontecimento particular que tenham desencadeado os sintomas.

Causas da hérnia cervical

Algumas das causas da hérnia de disco cervical são:

  • Má postura;
  • Processo degenerativo do disco e das vértebras da coluna devido ao envelhecimento;
  • Traumatismos diretos como pancadas e acidentes de automóvel;
  • Obesidade e sedentarismo.

Diagnóstico:

Embora o RX faça parte do estudo da dor cervical ou do braço, a hérnia discal não se visualiza neste exame uma vez que é formada por material não ósseo. O exame ideal para o seu diagnóstico é a Ressonância Magnética (RM), ou a Tomografia Axial Computorizada (TAC). Em alguns casos pode ser útil o estudo da condução nervosa e Eletromiografia (EMG).

Cirurgia para hérnia cervical

A cirurgia para a hérnia cervical é por vezes indicada quando o paciente sente muitas dores que não cessam mesmo com anti-inflamatórios e sessões de fisioterapia. Ela é delicada e não significa a cura da doença, mas pode diminuir os sintomas melhorando a qualidade de vida do paciente.

A microdiscectomia e artrodese anterior é o procedimento cirúrgico mais usado e consiste na remoção do disco e fragmento herniado por via anterior e promoção da fusão intervertebral com a colocação de um enxerto de osso retirado do ilíaco ou de um dispositivo contendo um substituto ósseo. Em casos selecionados pode, em alternativa, ser colocada uma prótese de disco cervical, por forma a manter o movimento do segmento afetado.

No entanto, como pode ser visto pelos testemunhos abaixo, o tratamento do Dr. Daniel Fernandes consegue muitos melhores resultados e o seu custo é bastante inferior.

Partilha nas redes sociais
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •