Fisioterapia para a coluna

Fisioterapia para a coluna

A fisioterapia para a coluna consiste  na utilização de diferentes tipos de exercícios terapêuticos para indivíduos com hérnia discal, dentre eles, os realizados em máquinas, com bolas e também na água.

Exercícios resistidos com equipamento devem fortalecer a musculatura extensora do tronco

Inicialmente deve ser feito alongamento por 10 minutos, depois o aquecimento seguido de exercícios aeróbios e posteriormente os resistidos em máquina que vai de 0 a 72° de flexão de tronco. Exercícios aquáticos devem ser realizados em piscina com profundidade de 1,3 metros com temperatura entre 28 a 29°C, com humidade de 70-75% e temperatura da sala entre 27 e 28°C. Devem ser realizados exercícios de alongamentos, seguidos de exercícios de pernas (levantar as pernas nos sentidos anterior, posterior e látero lateral, realizar caminhadas para frente, para trás e para os lados e realizar flexão e extensão de tronco). Ambos os tipos de exercícios devem ser realizados por aproximadamente 60 minutos. Os grupos de exercícios mostram melhora quanto a força isométrica de tronco após as 6 primeiras semanas de treinamento.

Fisioterapia para a coluna – Tração, laser de baixa potência e ultrassom

Tração, laser de baixa potência e ultrassom reduzem o tamanho do disco herniado na Ressonância Nuclear Magnética em 20%, 17% e 24% respectivamente (p < 0,05) no total de 15 sessões em 3 semanas com avaliação 3 meses após o término do tratamento.

Além disso, há melhora significativa em 23%, 27% e 27% (p < 0,0167) respectivamente quanto aos parâmetros abordados no Questionário de Oswestry Modificado após 3 meses, incluindo dor e funcionalidade. Não há, porém, diferença estatisticamente significante entre os grupos avaliados. Laser de baixa potência é superior ao ultrassom em 38% na negativação do Sinal de Lasègue no terceiro mês após o tratamento (p = 0,02), porém não há nenhuma outra diferença significativa com este sinal clínico entre as modalidades citadas.

Fisioterapia para a coluna – PENS (Percutaneous electrical nerve stimulation), ou seja, eletroacupuntura reduz em 42% a dor  após a última sessão terapêutica, quando administrada com frequência de 4Hz por 30 minutos 3 vezes na semana por 3 semanas.

Fisioterapia para a coluna – TENS (Transcutaneous electrical nerve stimulation) reduz em 23%, e a aplicação de placebo (sham-PENS) em 8%, na mesma frequência. Além disso, o consumo diário de medicações anti-inflamatórias analgésicas diminui em 50%, 29% e 8% respectivamente, durante o intervalo de 3 semanas de aplicação de cada terapia.

PENS é a terapia preferida por 73% dos pacientes comparada a 21% e 6% para TENS (p < 0,05) e sham-PENS (p < 0,01)

O uso da eletroacupuntura elimina a ciatalgia em até 80% (p < 0,05) quando aplicada nos pontos de dor paralelos à coluna lombar, enquanto a taxa de cura com TENS nos mesmos pontos de dor é de 44,9%

.Ultrassom é eficaz na melhora da dor e da amplitude de movimento da coluna lombar quando comparado a repouso (p < 0,01). O uso de tração associado a ondas curtas e iontoforese melhora significativamente a dor lombar medida por meio do Escore da Associação Japonesa de Ortopedia quando comparado o tratamento com tração e ondas curtas e a tração isoladamente.

Fisioterapia para a coluna – Recomendação Tração, laser de baixa potência e ultrassom são eficazes na melhora da dor e na redução do tamanho do disco herniado, porém sem diferenças estatísticas entre os mesmos. Eletroacupuntura e TENS são eficazes na melhora da dor, porém eletroacupuntura é superior, quando utilizados na frequência de 4Hz, 30 minutos ao dia, 3 vezes por semana por 3 semanas. O uso combinado de meios físicos é mais eficaz na melhora da dor que uso isolado.

Partilha nas redes sociais
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •