Tendinite

A tendinite é a inflamação de um tendão que se caracteriza principalmente por uma dor crônica ou aguda e espessamento dos tendões.

Geralmente é causada devido ao uso excessivo dos tendões através do excesso de repetições de um mesmo movimento (LER – Lesão por Esforço Repetitivo). Não é adquirida necessariamente no trabalho, mas com a difusão da inflamação, tornou-se uma importante doença laboral. Esta condição afecta pessoas que passam muito tempo a realizar a mesma tarefa, quer em trabalho quer em lazer. Os grupos mais afectados são operários que têm uma única tarefa ao longo de uma vida de trabalho, acontecendo muito a quem usa o rato o dia inteiro e em atletas não profissionais.

Tendões são tecidos fibrosos, densos e resistentes, através dos quais os músculos se prendem aos ossos, e permitem a realização do movimento articular. O sufixo “ite” em Medicina, geralmente está associado à existência de inflamação. Assim sendo, tendinite significa inflamação do tendão.

As causas das Tendinites são variadas, e podem estar associadas à presença de muitas condições ou doenças, incluindo:

  • Esforço físico intenso ou repetido;
  • Traumas mecânicos
  • Infecções
  • Doenças reumatológicas
  • Doenças do sistema imunológico
  • Distúrbios metabólicos
  • Processos degenerativos das articulações
  • Neuropatias que induzam alterações musculares

A sintomatologia das tendinites pode ser bastante variada, incluindo dor e inchaço (edema) de intensidade variável, bem como dificuldade de movimento e diminuição de força muscular.

Casos de longa duração aconteçem quando a causa da doença permaneçe presente, como a realização continuada de esforço, ou a presença de uma doença sistêmica cujo estímulo não seja removido apenas com repouso. Outras possibilidades seria a ocorrência de erro diagnóstico (por exemplo, a ocorrência de uma tendinose, que é a doença degenerativa do tendão).

O diagnóstico é clínico

Os exames de raios-X somente permitem o diagnóstico de tendinopatias calcificadas, enquanto os exames de ultra-sonografia dependem muito não apenas da experiência e boa técnica do médico avaliador, quanto e principalmente da colaboração do paciente examinado, já que se não mantiver as posições necessárias para perfeita visualização do tendão analisado, pode provocar artefatos (efeitos) que simulam lesões. Quanto às ressonâncias, também são suscetíveis a artefatos, pois se o paciente não colabora em ficar imóvel durante a realização dos exames, pode provocar imagens “tremidas”, cuja interpretação pode ficar comprometida.

As maiores queixas são de dores crônicas, mas existem as dores agudas.

A diminuição de atividade na área afetada ou até mesmo a imobilização são etapas essências do tratamento.

O tratamento medicamentoso geralmente é feito por antiinflamatórios não esteroidais (AINES) como aspirina, ibuprofeno, naproxeno e diclofenaco; na fase aguda da dor, assim como compressas frias. Em casos mais graves podem ser usados glicocorticóides e seções de fisioterapia.

A acupuntura, fortalecimento, alongamento, massagens localizadas entre outros podem ser usados como tratamentos não medicamentosos muito eficientes.

Existem algumas dicas para prevenir a tendinite: sempre aqueça antes de realizar algum exercício, beba bastante água, evite movimentos repetitivos, caso não seja possível, faça pausas de uma em uma hora para alongar; mantenha uma boa postura em frente ao computador (mãos retas e tela na altura dos olhos) e em casos de dor, procure o médico.

A tendinite é a inflamação de um tendão que se caracteriza principalmente por dor crônica ou aguda e espessamento dos tendões.

O tendão ajuda na contração do músculo, é um conjunto de fibras à base de colágeno que liga o osso e o músculo, normalmente encontram-se bem unidas. Na tendinite o colágeno encontra-se desordenado, com proliferação e irritação crônica do tecido.

É importante observar que no corpo existem inúmeros tendões, mas somente alguns podem ser doloridos, como:

  • o tendão de Aquiles;
  • o canal carpiano (falamos em síndrome do canal carpiano);
  • o cotovelo (falamos em epicondilite ou “cotovelo do tenista”);
  • a coifa dos rotadores (falamos em tendinopatia da coifa dos rotadores), tendões do ombro, geralmente atinge nadadores, tenistas e lançadores de beisebol.
  • O joelho

A história do paciente pode elucidar o tipo de treinamento ou atividade que causou a tendinite.

  • É muito importante que, em caso de tendinite, procure tratamento rápidamente.

Prevenção da tendinite

Estas são algumas medidas eficazes na prevenção das tendinites:

  • Aquecer antes de iniciar um exercício físico, desporto ou esforço
  • Beber bastante agúa
  • Reduzir os movimentos repetitivos
  • Caso não seja possível evitar movimentos repetitivos, realizar pequenas pausas e alongar.
  • Caso você passe muito tempo no computador, procure utilizar teclados e mouse ergonômicos, eles diminuem muito os casos de tendinite.
  • Ter uma alimentação equilibrada, principalmente antes de exercícios.
  • Fortalecer a musculatura antes de começar a praticar um desporto.
Partilha nas redes sociais
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •